Archive for junho, 2009

Hope Solo: coma com moderação

O texto explicativo sobre como os canhões da seleção brasileira de futebol feminino caíram diante da goleira Hope Solo dos USA está no post anterior. Esse aqui é só para degustação. Pq nem todo sapatão precisa ser um canhão.

goleira 3

goleira

WWCup US Soccer

goleira 4

goleira 5

Futebol feminino: saptão que é sapatão…

é por isso que a seleção feminina de futebol levou prata em 2008

é por isso que a seleção feminina de futebol levou prata em 2008

Sem dúvida que esse post está super atrasado, as Olimpíadas rolaram em 2008. Mas, pow eu esqueci de comentar naquela época, então, vamos lá. A seleção brasileira de futebol feminino perdeu para as deliciosas americanas e ficaram com a prata. Mas não é difícil entender… com aquele bando de canhão sem recuo (CSR) – um tipo especial de canhão com uma retro-abertura que permite a saída por trás dos gases provocados pelo disparo da sua munição (sacou a explicação sapatônica?) – da seleção brasileira de futebol feminino, as meninas não conseguirão se concentrar diante da goleira do USA… FALE A VERDADE: VOCÊ TERIA CORAGEM DE CHUTAR UMA BOLA EM CIMA DA HOPE SOLO? pois é, nem os canhões da seleção brasileira de futebol feminino do Brasil. Simples assim.

E subo (de verdade) bem alto prá gritar que é amor…

bata tipo sapatão

bata tipo sapatão

Na boa, vamos lá. Outro dia fui num barzinho novo que abriu aqui em SP e confesso ter ficado bem tensa. A fachada era legal. A recepcionista, tiazona de colete (pq essa porra voltou à moda?) super gentil. No entanto, quando adentro o recinto… pá!!!!! Uma mulher de bata (meu Deus, pq usar essa capa de galão d’água hein?????) cantava MPB enquanto um carinha dedilhava com voracidade seu violão com  aquela melodia super complexa: “… eu vou de escada prá elevar a dor”. Ok, a questão não é essa… o pior de tudo mesmo é o que veio depois. Uma fulana saiu de um canto escuro como num vôo sublime rumo ao centro do salão e começou a se sacudir parecendo que tava num terreiro. Adivinhem? Sim, ela estava de bata… bem esvoaçante. Suas pernas pareciam estar desconectadas com seu tronco, mas mesmo assim ela saltava como se estivesse num trampolim… então, ergueu os braços como se quisesse preencher todo o espaço ao seu redor, algo do tipo “I will survive”. Quem estava ao seu redor teve que abrir espaço pq a mina de fato queria subir bem alto prá gritar que é amor, com aquela batinha deprimente que tira o tesão (aliás, se quer surge um tesão) de qualquer um. Moral da história: pq tem sapatão que adora esconder as banhas por trás de uma batinha florida? Que caralho.